Semana da Floresta Autóctone

De 19 a 24 de novembro, o Centro de Educação Ambiental levou a efeito mais uma edição da Semana da Floresta Autóctone, uma iniciativa que visa assinalar, de forma simbólica, o Dia da Floresta Autóctone que se comemora a 23 de novembro.
Esta iniciativa, prevista no âmbito do Plano de Atividades do Centro de Educação Ambiental para o presente ano letivo, pretendeu sensibilizar os mais jovens para a importância das espécies autóctones no equilíbrio da nossa floresta e da elevada biodiversidade associada aos espaços florestais, realçando a importância dos espaços florestais e destacando os seus principais usos.
O programa desta iniciativa integrou um conjunto diversificado de atividades, que contou com a participação de cerca de 600 crianças de 15 estabelecimentos de educação e ensino do pré-escolar e 1º ciclo concelhios.
No Centro de Educação Ambiental, os estabelecimentos de educação e ensino puderam assistir a um Teatro de Sombras sobre a temática da floresta e participar numa oficina prática de construção de marionetas. Sob a coordenação dos Bombeiros Voluntários de Esposende foram também realizadas visitas ao quartel. Para além destas atividades, foram realizadas visitas a diversos espaços florestais concelhios que contaram com a colaboração do Gabinete Técnico Florestal e dos sapadores florestais.
Estas iniciativas tiveram uma forte adesão por parte da comunidade educativa concelhia, motivo pelo qual as iniciativas se prolongarão até início de dezembro.
Dirigido à comunidade em geral, no dia 24 de novembro foi realizada uma oficina O saber não ocupa lugar – Sabonetes de Mel, em que os participantes adquiriram conhecimentos sobre como é efetuado o fabrico de sabonetes de mel, tendo sido realçada a importância e benefícios do mel na cosmética natural.
O Dia da Floresta Autóctone, que se comemora anualmente a 23 de Novembro, foi criado para divulgar a importância económica e ambiental associada à conservação das florestas naturais e a urgência de as proteger da destruição. Normalmente neste dia as condições climatéricas portuguesas são mais adequadas para a sementeira ou plantação de árvores, pelo que deve ser uma alternativa ao Dia Mundial da Floresta, assinalado a 21 de Março, e criado inicialmente para os países do Norte da Europa.